Cidade Invisível: Saci, Cuca, Curupira, Sereia e Tutu moram no Rio de Janeiro convivendo conosco

A produção nacional inovou nos padrões dramatúrgicos e ousou no encontro entre folclore e suspense sobrenatural. Tratando-se de Carlos Saldanha, não poderia ser diferente. Consagrado na área de animação, manteve a chama criativa na troca para o cinema “tradicional”, abraçando o universo cultural brasileiro: Saci, Cuca, Curupira, Sereia e Tutu agora moram em plena cidade do Rio de Janeiro e convivem com cada um de nós. Deu super certo. Confesso que não sou grande consumidora de séries, mas vi tudo em dois dias. “Cidade Invisível” chegou com tudo. A composição estética da obra e os efeitos especiais contribuem para nos … Continuar lendo Cidade Invisível: Saci, Cuca, Curupira, Sereia e Tutu moram no Rio de Janeiro convivendo conosco

Por que prefiro a ‘Comédia dos Erros’

Na coluna Ação & Reflexão desta semana, a atriz Bianca Montanas traz sua visão sobre a obra do poeta, dramaturgo e escritor William Shakespeare, Comédia dos Erros. A seguir o texto, para relembrar e destacar a obra, de certa forma apagada mediante ‘Romeu e Julieta’, ‘Sonho de uma noite de verão’, ‘Otelo’, ‘Macbeth’; mais famosas e que revelam a queda da humanidade pelo “modão”, pelo “dramático”, pelo “sertanejo” e o “romântico”, o que não parece ser o caso da nossa colunista. Entenda: Amor não se explica, simplesmente acontece. Foi “amor à primeira leitura”. Desde as primeiras linhas da Comédia dos … Continuar lendo Por que prefiro a ‘Comédia dos Erros’

Meu malvado favorito – Macbeth

[Ação & Reflexão] | Coluna de resenhas descritivas e opinião | Por: Bianca Montanas. Onde está Macbeth? Onde está Shakespeare, o manipulador de emoções e desejos sem preconceito, que transita entre o jovem romântico, o vilão pérfido e o mundo real e sobrenatural? Com seus ardis encantadores, não há público que lhe escape: jovens e adultos, leigos e críticos; por isso os palcos se renderam a ele. Não há pessoa que não se envolva por suas palavras (certeiras), cenas (instigantes) e enredo (muito bem) elaborado. Haverá espaço para ele no mundo do “novo normal”? Shakespeare é sábio; Macbeth, soberbo; Shakespeare … Continuar lendo Meu malvado favorito – Macbeth

A arte como instrumento de desinformação

[Ação & Reflexão | Coluna de resenhas descritivas e opinião] Por: Bianca Montanas. A cultura está para o imaginário da mesma forma que a leitura, para a educação. Um povo pode ser conhecido pela cultura que cria e consome. Esta comunicação entre artistas e sociedade é constante; eles caminham juntos, num movimento espontâneo. A sagacidade de alguns, entretanto, consegue usar a arte para manipular a sociedade. Um artista pode influenciar a mente de inúmeras pessoas com suas obras, não se levando em consideração neste artigo o debate a respeito do que é ou não a verdadeira arte. No Brasil, podemos … Continuar lendo A arte como instrumento de desinformação