7/9 | Jesus disse para Pedro I: “-Bom trabalho!”

E Apontando para a cidade de São Paulo, o Senhor mostrou a Pedro I a multidão assistindo o discurso de Dom Luiz Philippe, renovando o juramento de liberdade, uma das coisas mais legítimas, patrióticas e eletrizantes que tivemos a honra de ver:

“Pela minha honra, pelo meu sangue, pelo meu Deus eu juro promover a liberdade do Brasil! Independência ou Morte! Independência ou morte!”

Eletrizante, épico. O Príncipe e o Povo renovaram o juramento para mais 200 anos.

Continuando, o Senhor Jesus, apontou para o Rio de Janeiro, mostrando o Presidente Bolsonaro discursando para a multidão, dizendo: “-Vês? Ele entendeu a questão da liberdade!”.

De fato, para quem conhece a história, sabe que novamente estamos em uma encruzilhada: cortes globalistas internacionais pressionam para invalidar a escolha popular, retirar o líder, com quem a população se identifica e até mesmo mandá-lo para a prisão. Querem que sejamos dirigidos por esta mesma corte através de seus representantes no Brasil (outro colegiado, dotado do espírito de 1889: golpista, oligárquico, antipatriótico, censurador e perseguidor).

As cortes continuam as mesmas: ameaçadoras, poderosas, covardes. Exigindo a saída imediata do Regente do cargo, com ameaças de violência, prisão etc. E para os brasileiros restaria escravidão, submissão, guerra civil. Já mandaram até publicar editorial na revista mais relevante da elite globalista, ameaçando o Brasil.

Coisa de Elite mesmo, como o golpe nefasto republicano de 1889.

Porém, mais uma vez o sangue brasileiro clama, da mesma forma que o de nossos antepassados: liberdade! “Ou ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil!” É o que diz o nosso hino verdadeiro, com o qual temos identificação de alma.

O Exército, diferente de 1889, desta vez está do lado certo. Assim como Pedro I foi, Bolsonaro também é chefe supremo das Forças Armadas.

No que tange aos erros da vida pessoal de Dom Pedro I (os quais foram indevidamente explorados pela Imprensa de então para destruir a imagem do imperador), Jair Messias não corre risco, apesar de sofrer o mesmo assédio da mídia.

No caso de Pedro I os desinformantes tiveram êxito na campanha destruidora que apagou todos os feitos grandiosos de sua gestão, por conta de uma questão pessoal. No caso de Jair, o povo já aprendeu que imprensa panfletária é destrutiva.

Atualmente a imprensa mainstream continua destrutiva e aliada às cortes Internacionais, onde está o poder financeiro. Porém, agora, não tem mais o monopólio da informação. Todo brasileiro se tornou jornalista, fotógrafo e cinegrafista e assim se cumpriu mais uma afirmação, desta vez de Pedro II: “-Imprensa se combate com mais imprensa”.

Assim como Pedro I, Jair Messias é Chefe Supremo das Forças Armadas. Casado com uma linda mulher (Michelle), que é vital para seu sucesso, como Pedro I foi casado com a Matriarca da Independência, Leopoldina.

Neste ponto, Jair age melhor do que Pedro, tirando o melhor da experiência maravilhosa de ter uma linda mulher a seu lado, que o ajude na tarefa. Temos evolução neste aspecto.

Jair e Michelle

As elites perderam este “calcanhar de Aquiles” (uma Domitila) contra o regente em 2022 em relação ao de 1822 e perderam a mídia (que hoje o povo faz e também escolhe quem faça melhor do que a midia mainstrem.

Cenas inesquecíveis!

Temos certeza de que, diante da notícia de que o Príncipe Dom Pedro I ficaria no Brasil, há 200 anos atrás, houve cenas parecidas (com as devidas proporções) e se produziu o mesmo júbilo Popular, a mesma conexão, a mesma disposição para lutar.

É possível ver exemplo nesta foto, da missa de Abolição da escravidão, que demonstrao júbilo popular:

Missa da Abolição colorizada por Matheus Venancio

O júbilo de 2022 (com as devidas proporções). A foto é autoexplicativa:

Brasília – 7/9/22

Convém não brigar com a imagem, ela reflete a força da temática ‘Deus, Pátria e Família’, além de poder popular. O Senhor dos Exércitos está com o povo, que continua tendo os mesmos anseios de antes: liberdade para trabalhar, produzir, viver em paz e amar o país.

Legitimidade é o que o Príncipe tinha. Legitimidade é o que o Presidente tem, inclusive, contando com o apoio de muitos descendentes do nosso querido Imperador General, nosso Príncipe Guerreiro.

Muita alegria em ver o povo brasileiro orando aos milhares. Que coisa linda! E logo o Pai Nosso! Mais especial ainda, tendo em vista que foi a oração ensinada por Jesus. Vimos cenas de multidões indo para a comemoração, dantes vistas somente em ocasiões como Carnaval e Copa do Mundo e isto foi emocionante em níveis inesquecíveis.

Porém, as manifestações festivas populares anteriores usualmente terminavam com saldos negativos para as famílias, como brigas e bebedeiras. A festa de 7/9 não teve nada de negativo, só positividade!

Ordem, beleza, família, Deus, pátria e um desejo inegociável de liberdade.

Viva o Império do Brazil! Viva o Brasil! Viva Dom Pedro I! Viva a Família Imperial! Viva o Presidente Jair Messias Bolsonaro do Brasil!

Um comentário sobre “7/9 | Jesus disse para Pedro I: “-Bom trabalho!”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s