Estudo de Oxford: 90% menos chance de hospitalização com Budesonida


Um estudo recente, de 9 de fevereiro de 2021, noticiado pela Oxford University confirma a eficácia da budesonida no tratamento contra o covid-19. Com resultado promissor, o ensaio clínico randomizado de Oxford envolveu participantes foram aleatoriamente designados para tratamento com budesonida inalada por meio de nebulização ou por meio de ministrações habituais, via spray nasal.

Richard Bartlett, um médico do Texas, usa o anti-inflamatório budesonida por meio de um nebulizador para tratar pacientes com COVID-19. Ele tratou centenas de pacientes com 100% de sucesso. Seu protocolo “Silver Bullet” agora é usado por médicos do Arizona, Louisiana, Tennessee e Texas.

Budesonida é um corticosteroide usado no tratamento de longo prazo da asma e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), dotado de potente atividade anti-inflamatória tópica e atividade sistêmica muito pequena (quando comparada com outros glicocorticoides).

Isto garante melhor eficácia com menor risco de efeitos adversos típicos, resultantes do uso de corticoides. É um medicamento seguro , relativamente barato e amplamente disponível.

No início da pandemia de Covid-19, foi observado em muitas publicações que havia uma representação menor (ou seja, havia poucos casos) de pacientes com asma e DPOC hospitalizados com Covid-19 (geralmente os mais graves são hospitalizados), apesar portarem doenças respiratórias crônicas, o que poderia ser considerada um fator de risco.

Observou-se também que todos esses pacientes geralmente faziam uso de corticoide inalatório. Com base nisso, foi interpretado que essas drogas poderiam ter um efeito protetor na doença grave de SARS-CoV-2.

Assim, o estudo: “Budesonida inalada no tratamento de Covid-19 precoce (STOIC): um ensaio clínico controlado randomizado de fase 2 aberto do uso de budesonida em pacientes com Covid” foi publicado no Lancet em 9 de abril deste ano, responsabilidade de um grupo de pesquisadores da Universidade de Oxford. O estudo foi realizado na comunidade de Oxfordshire, Reino Unido.

Os resultados do ensaio randomizado de fase 2, que foram apoiados pelo NIHR Oxford Biomedical Research Center (BRC), também foram publicados no servidor de relatórios preliminares MedRxiv (MedRxiv é um servidor de relatórios preliminares para medicina. O site é operado pelo Cold Spring Harbor Laboratory (CSHL) em Nova York, uma instituição de pesquisa e educação sem fins lucrativos).

O tratamento precoce com um medicamento comumente usado para tratar a asma parece reduzir significativamente a necessidade de atendimento de emergência e hospitalização em pessoas com COVID-19, concluíram os pesquisadores da Universidade de Oxford.

No PRINCIPLE, eles randomizaram 751 pessoas para receber a budesonida inalada. A budesonida foi administrada por meio de inalador de pó seco, na dose de 800 µg por aplicação, duas vezes ao dia, 2 semanas), contra 1.028 que receberam o tratamento padrão, desses, 1/3 (32%) das pessoas que tomaram budesonida inalada se recuperaram nos primeiros 14 dias, contra 1/5 (22%) no grupo de tratamento padrão, também com maior bem-estar (autorrelatado com a escala de bem-estar da OMS).

O estudo apontou que a budesonida inalada reduziu o risco relativo de atendimento de emergência ou hospitalização em 90% durante o período de estudo de 28 dias. Os participantes do estudo que receberam o inalador de budesonida tiveram uma redução mais rápida da febre, e menos sintomas persistentes após 28 dias.

Os sintomas persistentes de COVID-19 após a doença inicial surgiram como um problema de longo prazo. Qualquer intervenção que pudesse resolver isso seria um grande passo em frente. O estudo também demonstrou que houve uma redução nos sintomas persistentes naqueles que receberam budesonida.

Mona Bafadhel, professora de medicina respiratória que também trabalha com a Oxford University Hospitals NHS Foundation Trust, disse: ‘Embora não seja o resultado principal do estudo, este é um achado importante. É encorajador ver a diminuição dos sintomas persistentes 14 e 28 dias após o tratamento com budesonida”.

‘Houve avanços significativos em pacientes com COVID-19 hospitalizados, mas igualmente importante é o tratamento de doenças precoces para prevenir o declínio clínico e as necessidades de cuidados de emergência e hospitalização, especialmente para os bilhões de pessoas em todo o mundo que têm acesso limitado a cuidados hospitalares”.

No Brasil, o Budesonida custa em torno de R$ 42,09 na apresentação spray nasal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s