Globalistas amam Carajás e a riqueza mineral do Brasil

Renata Araujo e Yuri Vieira.

Em 2009, o escritor Yuri Vieira ministrou curso de roteiro e direção num festival de cinema do Pará. A convite do festival foi conhecer a Serra dos Carajás, de onde a Vale extrai ferro e outros minerais. Lá, há um Jardim Botânico, local de preservação da flora e biomas do Serrado.

No Jardim Botânico, as placas das árvores chamaram atenção do escritor, pelos ilustres visitantes homenageados nas placas, que há 12 anos atrás, pelo menos, já conheciam as riquezas do Serrado Brasileiro. Confira:

Autoridade chinesa
Autoridade chinesa ligada à metalúrgica.
Autoridade chinesa ligada à indústria de aço.
Presidente do grupo Folha: DataFolha e Folha de São Paulo
Fernando Henrique Cardoso o mais globalista dos últimos presidentes do Brasil.

O gerente de fundos de hedge de Nova York, George Soros, é uma das pessoas mais poderosas do planeta. 

A partir dos anos 1980 em particular, Soros usou sua imensa influência para ajudar a reconfigurar os cenários políticos de vários países ao redor do mundo.

O Instituto FHC (antecessor da Fundação FHC) é parceiro de longa data, contando com recursos na casa de centenas de milhares da Open Society Foundation, de Soros.

Em 2009, o instituto e a Open Society financiaram a publicação “Drugs and Democracy” que, dentre outros objetivos, visava conseguir a legalização de drogas no Brasil. Defensor da medida, FHC é um dos líderes da Comissão Latino-americana Sobre Drogas e Democracia, apoiada pelo bilionário – 20º homem mais rico dos Estados Unidos.

FHC com George Soros. (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Ainda, em 2015, Fernando Henrique foi a presença mais ilustre em um jantar para Soros na Avenida Vieira Souto, no Rio, onde o empresário falou sobre cultura da filantropia, com a presença de investidores como Celso Lafer, David Feffer (Suzano), Olavo Monteiro de Carvalho (criador de gado Nelore) e Guilherme Leal (Natura, que apoia projetos ambientalistas).

O evento foi organizado pela Open Society e pela Fundação FHC. A ativista de Soros, Ilona Szabó, também é próxima de Fernando Henrique Cardoso, acusado por Roberto Jefferson de ter participado da trama frustrada de impeachment de Bolsonaro com ajuda do então presidente da câmara dos deputados, Rodrigo Maia e seus comparsas.

Ilona Szabó em vermelho ao centro-esquerda.

Por fim, a realeza britânica, nas pessoas do Príncipe Charles e a finada Princesa Diana.

Realeza britânica

Muitos brasileiros não conhecem Carajás, essas pessoas conhecem.

Fotos: Yuri Vieira @yurivs (Twitter)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s